Pedaços

Tenho sono e recordo os diálogos internos de dias antes…
manter OU deitar fora?”
A busca da simplicidade OU o acumular e guardar?”
O menos para mais OU a memória que pode voltar por objectos e pedaços de ser que guardamos?”

Foi o caso… à medida que vasculho por um bicho de zeros e uns.. deparo com textos, músicas, instantes, diálogos e… dou comigo a entrar num modo nostalgia ao ritmo de um ou dois cliques. Como se passa tanto em tão pouco tempo ? Olho para instantes que mal se atrevem a passar os 12 meses, sentido-os como se tivessem ocorrido à 40 anos.

Canta Jeff um lilac wine. Escuto e sinto este vinho que amadurece ao som de um tan-tan ou tum-tum que pouco é dado aos calendários humanos.
Só te desiludes porque te iludes” surge num encontro com a lembrança que cria e recria.
Contemplo esta criação e já um dodo visita o ser e diz.. “mumir mumir”. Pisco os olhos mas lá está um joão que se agarra a umas pestanas e aquece umas pálperas.
Como um bicho totoro numa toca, um ponyo num barco… pisca-se um olhar gambuzino que contempla de uma forma cada vez mais nítida um mundo dos sonhos, a núvem mágica e outros kodamas.

2017-01-27T00:11:12+00:00

Comente com gosto

/* Omit closing PHP tag to avoid "Headers already sent" issues. */