Mente Sã

Categorias

Pesquisas revelam que a alimentação trata a saúde mental melhor que os medicamentos. É caso para dizer : Mentes sãs, corpo são.

O grego Hipócrates, considerado o pai da medicina ocidental, enaltecia o papel fundamental do alimento para tratar os pacientes e que todo o alimento deveria ser visto como medicamento. De tal forma era esta noção essencial que tornou-se o primeiro parágrafo do juramento médico. Que ainda hoje deve ser realizado por todo o médico para exercer a profissão “O Juramento de Hipócrates”.

Utilizarei os regimes alimentares que beneficiem os meus pacientes, que escolherei segundo a minha capacidade e discernimento mais elevados, sem lhes criar dano ou injustiças.” Hipócrates — 460AC — 370AC

Sendo o princípio fundamental da medicina tradicional ao longo de milénios, este princípio foi gradualmente descartado nas passadas décadas pela medicina convencional, com o aumento das abordagens farmacológicas e mecânicas, pelo dueto comprimido/cirugia. Em poucas gerações o ensino sobre os alimentos nos cursos de medicina foi gradualmente retirado até ser inexistente. Desenvolvendo-se a crença no corpo médico de que o alimento seria de pouca ou nenhuma importância na presevação da saúde ou no tratamento da doença. O corpo crescente de estudos tem vindo a demonstrar sistematicamente o contrário, pelo que a tendência das últimas décadas tem vindo gradualmente a alterar-se. Será que a medicina convencional finalmente fará as pazes com a sua longa tradição e integrará conhecimentos ancestrais ?

Médicos ao redor do mundo admitiram que aprenderam muito pouco ou nada sobre alimentação durante a sua formação. A Dra. Julia Ruckidge, estava hesitante em acreditar que apenas a alimentação poderia beneficiar os pacientes porque foi ensinada que a alimentação era algo trivial no que tocava ao tratamento da doença mental. Porém, ela tem conduzido investigações na passada década e descobriu que a “alimentação é uma forma segura e viável de evitar, tratar e amenizar doenças mentais.”

Num dos estudos realizados os micronutrientes ingeridos pelos pacientes tiveram uma influência positiva na recuperação.

Num desses estudos a mesma conduziu testes com placebos. Dando vitaminas e sais minerais, também conhecidos como micronutrientes, para tratar TDAH (Transtorno de Défice de Atenção e Hiperatividade). Em apenas oito semanas, no grupo que recebeu os micronutrientes, o dobro das pessoas reagiu positivamente em relação ao grupo placebo. Aqueles que continuaram a ingerir os micronutrientes continuaram a apresentar resultados positivos, e os que regressaram à medicação apresentaram um agravamento dos sintomas.”

A curto prazo a medicação para desordens mentais tem-se revelado eficaz. Porém a médio e longo prazo tem-se revelado ineficaz e até como contribuindo para agravar o problema.

Em estudos realizados sobre crianças tratadas com estimulantes ou ritalina, estas reagem melhor do que a qualquer outro tratamento. Porém, a longo prazo estas reagem pior do que as crianças que nunca foram sujeitos a estes medicamentos.”

Outro estudo mostra que apesar da nossa crescente confiança em antidepressivos as taxas de recuperação e recaídas não são em nada melhores agora do que há 50 anos, antes da administração destes medicamentos.

Crianças com depressão que foram sujeitas a antidepressivos têm uma probabilidade três vezes maior em desenvolver desordens bipolares do que as crianças que não foram sujeitas a estes medicamentos antidepressivos.

Em testes realizados escolhendo pessoas aleatoriamente, aquelas a quem foi pedido para manterem-se com as suas doses de medicamentos antipsicóticos, têm uma probabilidade menor de recuperar de esquizofrenia a longo prazo do aquelas a quem é indicado para reduzirem as doses ou eliminá-las por completo.”

Segundo o índice da base de dados NICS dos EUA (National Instant Criminal System), os casos de doenças mentais reportados aumentaram trinta vezes em menos de uma década. Com cerca de duzentos mil casos inseridos em 2005 e mais de três milhões de casos em 2014. Mesmo considerando a afluência na inserção de registos na plataforma segundo consideração da própria, muitos casos continuam ainda de fora da mesma.

nics-index_2004-2014

Tenha em consideração que a alimentação é muito mais do que a nutrição. Tomar suplementos e continuar a comer produtos altamente processados, é como tomar xarope para a tosse e continuar a fumar.

Prefira alimentos de qualidade (biológicos) que contêm os nutrientes em vez de nutrientes extraídos dos alimentos e colocados em suplementos. Suplementos poderão ser suplementares aos alimentos, porém não deverão ser substitutos.

FONTES

2017-11-29T23:37:39+00:00

Comente com gosto

%d bloggers like this: