Glossário 2017-11-29T23:37:22+00:00

A..Z

Saber vagamente o que quer dizer gera uma percepção vaga. A noção superficial que permanece fixa, enviesa os significados rumo aos equívocos. Destes nasce a discórdia e por dissonância a pertubação ensurdecedora. O ruído que mantêm à margem a música e o silêncio da verdade.

A cosmologia daoísta requer um entendimento correto de cada significado. Muitos dos caracteres transportam significados inteiramente novos numa mundividência própria. Entendê-los em profundidade torna-se essencial e por isso comecei a criar este glossário para os termos mais empregues. Compreenda que este é um trabalho em progresso, longo e complexo, para o qual vou contribuído gradualmente de acordo com a minha capacidade. Queira perdoar que alguns termos vão-se apresentando incompletos no decorrer deste processo.

Pinyin é o sistema oficial de conversão fonética dos ideogramas chineses em caracteres do alfabeto grego. Significando literalmente “som soletrado” e encontra-se em vigor na China desde 1958. Devido ao desconhecimento e a uma rápida proliferação de alguns termos chineses no mundo ocidental, ainda é comum, encontrarmos termos escritos de forma anacrónica, utilizando sistemas de romanização largamente desatualizados.

Seguem-se exemplos comuns de termos escritos pelo sistema pinyin e entre parênteses a forma desatualizada : Qi (Chi), Qigong (Chi Kung), Taiji Quan (Tai Chi Chuan), Gongfu (Kung fu), Dao (Tao), Wudang (Wutang), Dao De Jing (Tao Te King), Lao Zi (Lao Tsé), Yi Jing (I Ching), Dantian (Tantien), etc.

Termo【chinês | pinyin】(alternativa) — Definição

Qi【氣 | qì】(chi / ki) — É a força vital que impregna todo o universo. O ideograma chinês do Qi é representado como o vapor que emana do arroz, sendo algo insubstancial que contém e dá força de vida. É um conceito presente em várias culturas ao longo de toda história através de nomes populares como Prana (na Índia), Energia Vital (no Ocidente), Grande Vento (índios norte-americanos), Biofotões (pelo físico Alexander Gurwitsch), Matriz, Fluxo e Força (nos filmes Matriz, AvatarGuerra das Estrelas, respetivamente).

Realização【功 | gōng】(kung) — Pode ser entendido como uma realização, uma habilidade desenvolvida, uma capacidade, um trabalho, um esforço, um mérito, uma virtude adquirida. Uma qualidade dada pelo tempo, direção e natureza intrínseca. Um talento que é desenvolvido ou manifestado. Por exemplo, um carvalho que cresce forte e bem enraizado, poderá entender-se que desenvolve bastante 功, gōng. Adquirindo uma qualidade, uma realização alinhada ao seu talento.

Dao【道 | dào】(tao / caminho / curso / percurso / natureza / absoluto) — Entende-se como o mistério do mundo que lhe dá origem. O caminho da espontaneidade natural, que produz todas as coisas que existem. Sendo todos os fenómenos do mundo entendidos como formas ou eventos (um potencial manifesto ou realizado) passíveis de serem definidos ou expressos, entende-se que a origem destas formas deriva de algo sem forma (um potencial imanifesto) indefinível, misterioso, transcendente (para lá da capacidade de o limitar). Por uma questão de comunicação, é-lhe atribuído o nome Dao, porém é implícito que o nome funciona apenas como um dedo que aponta para algo mais vasto, infinito, indefinível, inominável, transcendendo a dualidade e como tal impossível de ser contido por esta.

道可道 O curso que se pode discorrer, não é o eterno curso
非常道 O caminho que pode ser expresso não é o Caminho constante
名可名 O nome que se pode nomear, não é o eterno nome
非常名 O nome que pode ser enunciado não é o Nome constante
~Lao Zi

De【德 | dé】(te / moral / virtude / bondade / consciência) — É o modo de caminhar espontâneo que dá às coisas a sua perfeição.

Jing 【經 | jīng】(ching / king) — Escritura, cânone, clássico, trama.

Dao De Jing 【道德經 | dàodé jīng】(tao te ching / tao-te king) — “Comumente traduzido como O Livro do Caminho e da Virtude, é uma das mais conhecidas e importantes obras da literatura da China. Foi escrito entre 350 e 250 a.C. Sua autoria é, tradicionalmente, atribuída a Lao Zi (literalmente, “Velho Mestre”), porém a maioria dos estudiosos atuais acredita que Lao Zi nunca existiu e que a obra é, na verdade, uma reunião de provérbios pertencentes a uma tradição oral coletiva versando sobre o Dao (a “realidade última” do universo). A obra inspirou o surgimento de diversas religiões e filosofias, em especial o daoismo e o budismo chan (e sua versão japonesa, o zen).”

Yi Jing【易經 | yìjīng】(i ching / i king) — Traduzido como “O Livro das Mutações” ou “O Livro das Transformações”

Qingjing Jing【清静經 | Qīngjìng Jīng】(Ch’ing Ching Ching) — Significando literalmente “Clássico da Clareza e Quietude” / “Clássico da Pureza e Tranquilidade”. É um texto anónimo dos clássicos daoistas que remonta à dinastia Tang numa integração única dos temas apresentados no Dao De Jing, textos budistas e com reminiscências ao “Sutra do Coração”. Instrui os praticantes do Dao na prática de eliminação do desejo para cutivar a pureza e quietude espiritual.
“qing 清 “puro ; limpo ; claro ; fresco ; distinto ; resolvido ; pacificado ; sereno”.
jing 靜 “quieto ; inamovível ; estático ; silencioso ; pacífico ; calmo ; tranquilo”
jing 經 “(tecido) textura ; escritura ; cânone ; clássico”.

Práticas Daoistas【修道 | xiūdào】(Xiūshēn 修身/ práticas taoistas / cultivar a verdade / caminhar para o Dao / reparar o corpo / reparar o Dao) — traduzindo literalmente o termo xiudao temos “Cultivar do Dao 道”, que alberga o significado de “caminho” ou “forma de realização natural”. As práticas daoistas referem-se ao sistema integral praticado e vivido pelos monges daoistas de Wudang para um desenvolvimento pessoal e coletivo. Sendo a origem de diferentes práticas populares, o xiudao pode ser visto como o sistema original que integra Qigong, Taiji, Gongfu, Dagong, Neidan, Yangsheng gong, Zhang Zhuang, Daoyin, Fuzhu Gong, Tuishou, Feng Shui, I Jing, Meditação, Cosmologia, Artes Curativas e outras. Podemos entender cada uma destas práticas como vertentes ou afluentes que contribuem para o rio em si, contribuindo cada uma para aspetos vitais na harmonização e desenvolvimento do indivíduo no seu caminho para o grande mar, o grande Dao 道. Com o passar dos séculos várias das vertentes separaram-se da origem, assumindo identidade própria ou contribuindo para a criação de outros sistemas autónomos. Porém no sistema de práticas daoistas, cada uma representa uma vertente e um contributo vital para o desenvolvimento completo e harmonioso do praticante.

Wudang【武当 | Wǔdāng】(wutang / estilo daoísta) — Localizada a noroeste de Hubei na China, o termo Wudang refere-se à região montanhosa considerada o berço do daoismo. É comum ser empregue para referir qualquer método daoista. Por exemplo, artes marciais de wudang ou medicina de wudang poderá ser entendido como artes marciais daoistas ou medicina daoista. O termo wudang define um estilo próprio como uma marca.

Wudang Puro Yang【武当纯阳 | wǔdāng chún yáng】— linhagem que seguindo as práticas daoistas contém o seu próprio estilo ; ensinamentos e práticas próprias no cultivo do Dao.

Cinco Transformações【五行 | wŭ xíng】(wuxing / cinco movimentos / cinco elementos / cinco energias / cinco vibrações / cinco fases) — árvore/madeira (木), fogo (火), solo/terra (土), metal (金),água (水).

Melhoria Contínua【改善 | gǎi shàn】(excelência / aperfeiçoar / kaizen / 6 Sigma) — 改 gǎi alterar ; modificar ; transformar e 善 shàn benevolente ; bem-disposto ; bom (virtuoso). A Melhoria Contínua é algo presente em todas as práticas daoistas, não existe um fim apenas um caminho. Toda a prática é realizada para a vida num processo contínuo de melhoria.

Qigong【氣功 | qìgōng】(chi kung) — composto pelos caracteres Qi e Gong poderá ser interpretado literalmente como o “cultivar da energia” ou o “trabalho sobre a energia”. Neste sentido poderá aplicar-se a uma infinidade de atividades, porém em termos comuns costuma referir-se a um conjunto de práticas desenvolvidas para fortalecer o corpo, a mente e o espírito . Baseando nos princípios energéticos do corpo e do Qi. A generalidade dos exercícios são realizados em pé, de forma lenta, estática e suave. Porém é importante salientar que sendo uma tendência, não é de todo uma regra. Na China, considera-se que o desenvolvimento do Qigong representa a raíz que precede qualquer prática. Como metáfora poderemos dizer que práticas como meditação, taiji, gongfu, medicina são os livros que expandem a prática a níveis mais vastos, porém o Qigong é como que o alfabeto ou a raíz que irá sustentar a expansão de práticas posteriores. Sendo por este motivo considerando fundamental o seu exercício antes e durante qualquer outra prática subsequente.

Qigong primordial【導引 | dǎo yǐn】 ( daoyin / taoyin / qigong ancestral / yoga taoísta) — Considerada a prática que deu origem ao Qigong, hoje em dia é entendida como um subconjunto deste. Um conjunto de exercícios ancestrais que atuam de forma terapêutica sobre o praticante. Desenvolvendo igualmente a vitalidade, a sincronicidade e a harmonia no movimento. Considera-se que serviu de base ao Taiji Quan e também ao desenvolvimento de aspetos nas Artes Marciais. Os movimento são sincronizados com a respiração e as posturas podem ser várias : sentado, deitado, em pé, em movimento, etc. Serve igualmente de base a exercícios de meditação que poderão ocorrer em qualquer uma das posturas.

Longevidade 【养生功 | Yǎngshēng gōng】(longevidade / soft qigong) — num sentido literal e mais geral, refere-se a ações para cultivar a longevidade. Significando mais um modo com a qual se permeia atividades diárias, com o propósito de trazer harmonia, vitalidade, qualidade, numa vida mais próspera e com sorte, também mais longa. No contexto do daoismo refere-se ao de práticas que promovem a capacidade curativa e longevidade do praticante. Dá especial atenção ao modo pela qual uma ação é realizada, o que traz benefícios a longo prazo. Todos os hábitos que reforçamos, contribuem para o Yangsheng gong. Como tal qualquer atividade poderá ser pautada, de tal forma que a promova. Por exemplo, podemos simplesmente comer engolindo ou por outro lado, mastigar bem e saborear o alimento, neste contexto estaremos a promover longevidade pela forma como estamos a realizar o ato de comer.

Qigong da Longevidade【導引养生功 | dǎo yǐn Yǎngshēng gōng】(qigong terapêutico / qigong curativo) — É uma forma de Daoyin (qigong ancestral) orientada para a auto-cura e a longevidade. Caracterizada por diferentes conjuntos que vão dando poder ao praticante na preservação da saúde e na religação Corpo-Mente-Espírito. Possui posturas estáticas e de movimento sincronizado com a respiração. Cada exercício atua de forma terapêutica e confere aos praticantes a capacidade de se regenerarem, promovendo igualmente a vitalidade ao longo do tempo (longevidade). Muitos exercícios são igualmente orientadas para harmonizar o espírito, sendo formas de meditação profunda que promovem a capacidade regenerativa natural do corpo.

Dagong【大功 | dàgōng】(qigong avançado / hard qigong) / escudo de qi / qigong de proteção das sete estrelas) — É uma forma de Qigong Avançado, onde o praticante pode desenvolver-se a níveis mais avançados da prática.

Tui Shou【推手 | tuī shǒu】(pushing hands / empurrar as mãos / mãos coladas) — Exercícios de aplicação de movimentos marciais praticado a dois. A denominação é comum a diversos estilos de artes marciais internas (內家, nèi jiā), como o Baguazhang (Pa Kua Chang), Xingyiquan (Hsing-I Chuan), Taiji (Taijiquan) e o Yiquan (I-Chuan). Praticado entre duas pessoas, enquanto um dos praticantes ataca, o outro defende. Quando um é Yang, o outro é Yin, prontos para transformarem-se no inverso através de movimentos circulares. No caso do Taiji, a Forma desenvolve a parte física e mental, e neste ponto, o Tui Shou dá-nos a capacidade de ceder, tanto física quanto mentalmente. O objetivo deste treino é desenvolver a capacidade de colar e ceder, que só é conseguida através da ampliação da sensibilidade.
A pessoa que cede ao estar sob aplicação de uma força, pode fazer uso desta contra quem aplicou. Esta é a máxima das artes marciais — usar a força do adversário contra ele mesmo.

Mãos de nuvem【雲手 | Yún shǒu】 (Cloud Hands / yunshou) — Traduzindo do original temos “Mover as mãos como nuvens”. Existindo algumas variações no movimento, tipicamente as mãos e braços realizam círculos ao mesmo tempo que é realizado um passo lateral. O movimento é também associado à forma como um bicho-da-seda realiza a sua tecelagem.

Meditação levantado【站桩 | Zhàn zhuāng】(meditação em pé / meditação em árvore / meditação elevado / permanecer erguido / permanecer como um pilar) — Traduzindo de forma literal temos “permanecer como um pilar” e refere-se a um método daoista para promover a saúde e meditar. Desenvolve o sentido de propriocepção do corpo enquanto uma estrutura integrada num todo e o desenvolver de tal habilidade tem aplicações como meditação e terapêuticas. Quando devidamente entendido e desenvolvido, capacita um praticamente de artes marciais de uma resiliência fora do comum.

Daoyin【導引 | dǎoyǐn】(tao yin / yoga daoísta / sentar calmamente) — associado às práticas de meditação de origem daoista em que o praticante senta-se calmamente para realizar uma série de movimentos. Alguns movimentos poderão ser deitado ou mesmo em pé. O Daoyin é considerado um precursor do qigong e um dos ingredientes primários à prática de taiji. Conjuntamente a outras práticas daoistas, visa cria uma harmonia entre as energias internas e externas assim como revitalizar o corpo, a mente e o espírito, desenvolvimento força e flexibilidade em todo o corpo.

Explosão de Qi【発勁 | Fā jìn】 (fajing / fa chin / emissão de Qi / descarga de Qi) — representa uma grande descarga de poder ou força, aparentemente sem grande esforço físico. Bem ilustrado pela ponta de um chicote que movendo-se de forma aparentemente suave consegue reunir um grande poder de libertação na sua extremidade. Tornou-se popularmente conhecido a Ocidente, através das demonstrações do actor e artista marcial Bruce Lee nos seus famosos socos de grande poder com distâncias tão curtas como cinco centímetros. Na prática nenhuma distância é necessária, uma vez que a força é reunida interiormente pelo praticante a partir do seu dantien e com a possibilidade de ser emitida por qualquer extremidade do corpo.

Artes Marciais Daoístas【武當拳 | Wǔdāngquán】(punho de wudang / punho daoista) — o conjunto das práticas marciais internas divulgadas pelos templos das montanhas de Wudang. Os treinos dão também ênfase à meditação, artes curativas e ao exercício de Qigong para controlar a energia interna. Integrando nos fundamentos da prática marcial a teoria do yin yang, a Teoria dos Cinco Elementos e diversos ensinamentos presentes em escrituras e na filosofia daoista. Os treinos são intensivos e extensos integrando-se como um todo nas diversas práticas. Alguns movimentos podem fazer metáforas com animais. Para além da prática do Taiji, outros estilos de artes marciais internas praticados são Xing Yi Quan e Baguazhang. O treino com armas também é bastante popular com especial ênfase no estudo da espada. Esta fama é retratada no filme “A lenda do tigre e do dragão”.

Dantian【丹田 | Dāntián】(Tantien / campo do elixir / campo de cinábrio/ campo de transmutação / centro de energia / hara / tanden / centro de gravidade) — Refere-se a um centro localizado no corpo. Havendo três centros (Dantian Inferior, Médio e Superior) por omissão assume-se sempre o Dantian Inferior, quando se diz apenas “Dantian”. Localiza-se junto ao umbigo, cerca de dois dedos abaixo deste e um para dentro. O Dantian Médio localiza-se na zona do plexo solar e o Dantian Superior, na zona entre as sobrancelhas. De realçar que os termos Inferior, Médio ou Superior referem-se apenas à localização dos mesmos, não sendo de todo relativos à sua qualidade. Cada um dos três centros tem a capacidade de guardar e gerar Qi (o elixir energético) para o corpo. De forma metafórica poderemos entender estes centros como baterias com a capacidade de se autocarregarem. Quando o Qi no Dantian Inferior é forte, o portador é vibrante, de boa saúde, robusto, cheio de energia e estamina. Quando o Qi no dantian inferior está fraco também o portador estará mais fraco, frágil e pouco robusto. Cultivar estes centros torna-se essencial tanto para restabelecer energia como para potenciar a capacidade de reter ou emitir Qi. Sendo de suma importância em todas as práticas daoistas (meditação, respiração, qigong, taiji, gongfu, alquimia, etc.).

Fu Zhu Gong【】(skill) — trademark skill, unique skill

Poder Recebido【收功 | shōu gōng】—

Shou Xin Lian Ji【】— Retrieving the Heart and Refining the Self

Taiji Quan 【太極拳 | Tàijí quán】 (Tai Chi Chuan) — é uma arte marcial interna chinesa, reconhecida também como uma forma de meditação em movimento. Tai 太 significa “supremo”. Ji 極 significa a parte mais alta do telhado ou polar. Quan 拳 significa “Punho”, aqui simbolizando “soco”. Traduções possíveis poderiam ser “punho do limite supremo” ou “punho supremo acima das polaridades”. Os princípios filosóficos do taiji remetem ao daoismo e à alquimia chinesa. Tendo a conotação filosófica de “elevação” ou “purificação”. Nos textos clássicos do taiji os mestres orientam a :

  • Vencer o movimento pela quietude (Yi Jing Zhi Dong) 以靜制動
  • Vencer a dureza pela suavidade (Yi Rou Ke Gang) 以柔克剛
  • Vencer o rápido pelo lento (Yi Man Sheng Kuai) 以慢勝快

Lao Zi【老子 | lǎozi】(Lao Tzu / Lao Tsu / Lao Tsé / Lao Tzi ) —

Meditação【打坐 | dǎzuò】—

Práticas de Combate【武术 | wǔshù】—

Arte Marcial【功夫 | gōngfū】(Kung fu) —

Qing Gong【】(light qigong / parkour)

Medicina Oriental【】—

Artes Curativas【】—

Templo dos 5 Imortais【五仙庙 | wǔ xiān miào】—

Montanha do Cavalo Branco【武当白马山 | wǔdāng báimǎ shān】—

Feng Shui【风水 | fēngshuǐ】—

Alquimia Interna【内丹 | nèidān】—

Dan Dao【】 — “articulated around the Point 0 in which transformation may happen if the mind can stabilize into it” (nome alternativo de alquimia interna ou método de alquimia interna?) 

Cosmologia【】—

Mundividência【】—

%d bloggers like this: