Equinócio deriva do latim, significando “noite igual”, isto é, o período em que o dia e a noite duram o mesmo número de horas. O equinócio de outono, assinala que o período noturno começará a aumentar, desencadeando uma série de mudanças no planeta de enorme impacto em tudo e todos que nele habitam.

Os chineses chamam a este período Qiufen (秋分, qiūfēn), sendo o 16º nos 24 Períodos Solares (24节气 jiéqì) do calendário lunissolar. O calendário lunissolar tem em conta os movimentos da lua e do sol, no entanto, o equinócio de outono é um evento que afeta os calendários apenas solares (como o nosso). Sendo celebrado por todos os continentes e culturas, desde tempos imemoriais.

Mais do que a meteorologia, o equinócio de outono, afeta internamente todos os corpos na sua fisiologia, com um impacto nos ciclos circadianos. Plantas, árvores, marés, insetos, animais, incluindo os seres humanos, precisam de reajustar-se com a nova dinâmica do ecossistema. Certos desequilíbrios acentuam-se, enquanto outros melhoram e várias pessoas veem o seu estado de saúde a agravar, durante este período de transição.

Alergias, contraturas musculares, dores ciáticas, desregulação dos intestinos, tensão nos ombros, falta de vitalidade, dores na cervical e problemas de pele que se acentuam, são queixas comuns neste período. Há uma tendência para originar-se uma saudável melancolia e nostalgia, que em casos de maior desequilíbrio pode acentuar numa tristeza ou depressão.

Na teoria das 5 Fases, este período é reconhecido como a fase do Metal. Um período de interiorização em que a energia se move para dentro, dando início a um convite para desapegar o que já não serve e recolher o que importa, rumo a um processo de transformação, de alquimia.

A contração exterior, gera também uma contração interior e como resultado as portas começam a inchar e a ranger. É tempo de olear dobradiças e limpar tudo em geral, aproveitando os novos ventos gerados, para desapegar e “destralhar”. Devemos dar conclusão aos ciclos que terminaram para iniciar novos caminhos, numa altura que nos pede para sossegar, enraizar e simplificar.

Compressas quentes de gengibre nos rins, escalda-pés e respirar profundamente pelo nariz, são excelentes para nos ajudar a equilibrar neste período. Também a alimentação e a nutrição, têm de ser reajustadas para esta nova fase e na próxima publicação daremos mais conselhos sobre este tema.

Concluímos com a partilha dos conselhos dos nossos ancestrais, presente no livro “Princípios de Medicina Interna do Imperador Amarelo” (黃帝内經, Huang Di Nei Jing). Uma obra com 5.000 anos de existência e que permanece atual.

“Os três meses de Outono chamam-se período de tranquilidade da nossa conduta. a atmosfera do Céu é intensa e a atmosfera da Terra é desanuviada.

As pessoas devem deitar-se cedo e levantar-se cedo, com o cantar do galo. Devem ter o espírito em paz, a fim de minimizar os desequilíbrios do Outono. Alma e espírito devem unir-se para que a exalação do Outono seja tranquila, e para conservarem os pulmões puros as pessoas não devem dar expansão aos seus desejos.

Tudo isso está em harmonia com a atmosfera e tudo isto é o método de proteção da nossa colheita.

Os que desrespeitam as leis do Outono serão afetados com um mal pulmonar. A esses o Inverno trará indigestão e diarreia e, assim, terão pouco apoio para o armazenamento do Inverno.”

A todos, um feliz equinócio de outono! 🌲 🍁

Fotografia por Vasco Daniel © 2013. Em em Wudang (China) no templo daoista dos Cinco Imortais