(Dia 15 * Montanha do Cavalo Branco 白马山, CHINA 中国 * 16-11-2013)
Quando criamos um início criamos um fim. Assumindo que o sol nasce quando ascende pela linha do horizonte, implicitamente determinamos que o sol põe-se quando descende pela linha do horizonte. No coração não existe início nem fim, tudo é continuamente interligado como fazendo parte. Início e fim são marcas que criamos para transformar verbos em nomes. Transformamos o contínuo movimento sem forma, eterno e dinâmico em formas com nome, início e fim. Vivendo no coração não há inícios nem fins. A saudade torna-se um presente sempre ausente. Inícios e fins dissolvem-se em continuidade.

By | Novembro 5th, 2014|

Comente com gosto

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.