Entendemos os frutos na origem, saboreando a sua história.
Na profunda origem encontramos as condições ideais para desenvolver a raiz profundamente. Conhecendo o silêncio, a pureza, a essência e o que não é, poderemos entender o som, o acrescento, a substância e o que é.

Os conteúdos ensinados são maioritariamente, o resultado do conjunto de práticas daoistas que aprendi na China, no Templo dos 5 Imortais, localizado no Pico do Cavalo Branco das montanhas de Wudang (武当白马山五仙庙, Wǔdāng báimǎ shān wǔ xiān miào). Aí vivi e pratiquei continuamente, as práticas daoistas do estilo Puro Yang (纯阳, chún yáng), aprendendo também os seus hábitos e rotinas do dia-a-dia.

As habilidades do estilo Puro Yang foram fundadas por Lu Dong Bing, reconhecido como um dos Oito Imortais (uma lenda bem reconhecida na China) no século VII, durante a Dinastia Tang. O seu ensinamento foi passado e refinado, ao longo de vários séculos, por sucessivas gerações de mestres e discípulos. Esta cadeia de saber quase foi quebrada, durante a revolução cultural chinesa, um período conturbado em que templos foram destruídos e monges perseguidos. O saber preservou-se pela 22ª geração através do mestre Liu Li Hang, que encontrou em Du Song Feng (Li Shifu) um discípulo capaz, passando a este todos os saberes da linhagem, nessa 23ª geração. Compreendendo as mudanças dos nossos tempos, Li Shifu abriu as portas do templo em 2008, disposto a ensinar discípulos que detenham a capacidade e a motivação de assumir o compromisso de aprender, saber e praticar com rectidão. Foi assim que em 2009 tornei-me discípulo deste, recebendo o nome Cheng Fa (诚法, Chéng Fǎ). Ingressando na 24ª geração de discípulos do estilo Puro Yang.

Ancestralidade do estilo Puro yang